Janeiro Branco, Centro de Valorização à Vida oferece suporte emocional na pandemia.

A proposta é dialogar com as pessoas que sofrem de ansiedade, depressão e outras doenças mentais.

Por Folha Web

Em 27/01/2021 às 14:19

A pandemia do Coronavírus tem gerado desdobramentos, como o medo de adoecer, a preocupação com familiares, a dificuldade em lidar com o luto e até mesmo a ansiedade em função do distanciamento social.

Este contexto faz com que os cuidados com a saúde mental sejam incluídos nas resoluções de ano novo. E é neste período em que as pessoas estão procurando mudanças que a campanha Janeiro Branco busca destacar a importância da prevenção.

Uma das alternativas neste momento de distanciamento social é o Centro de Valorização à Vida (CVV), instituição apoiada pela Assembleia Legislativa de Roraima, que presta apoio emocional gratuito à população de todo o país, pelo telefone 188, entre outros canais.

A central, que possui voluntários disponíveis 24 horas por dia para os atendimentos, recebeu cerca de 4 mil ligações provenientes de Roraima, em 2020.

O CVV é uma organização não governamental (ONG), criada há 58 anos para prestar apoio emocional e trabalhar na prevenção do suicídio. Desde 2015, a linha telefônica 188 funciona como central de atendimento para a população.

Em Roraima, o núcleo do CVV funciona na Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa.

A coordenadora do CVV no estado, Elizabete Brito, ressalta que o trabalho prestado pela ONG é voluntário e feito por meio de uma conversa informal. "Os voluntários passam por uma capacitação, mas nós não oferecemos atendimento psicológico. Por isso, é importante que as pessoas procurem atendimento médico especializado".

Em 2020, durante a pandemia, o trabalho do Centro de Valorização à Vida continuou de forma remota e os voluntários de Roraima e do restante do Brasil seguiram prestando apoio às pessoas que buscavam ajuda pela linha telefônica.

Todos os atendimentos são sigilosos. As ligações são distribuídas pela matriz da central de atendimento em São Paulo, isso significa que qualquer voluntário no país pode atender a ligação. Mais informações estão disponíveis no site https://www.cvv.org.br/ ou no telefone (95) 98124-6264.


Voluntários

Para melhorar a prestação do serviço, o CVV vai abrir novas vagas para voluntários em Roraima. Ainda não há data prevista para realizar a seleção de novos participantes, mas quem tiver interesse já pode procurar o núcleo da CVV pelo telefone (95) 98124-6264 ou pelo site: cvv.org.br/.

Ao todo, são mais de 2 mil voluntários em todo o país, dos quais seis estão em Roraima, realizando os atendimentos pelo número 188, chat ou email. Para ser voluntário, é necessário que o candidato tenha mais de 18 anos, e cumpra todas as etapas de seleção e capacitação.

"Não tem como ser voluntário sem passar pela capacitação, porque é dentro dessa seleção que o candidato vai conhecer a história do centro e saber como faz o atendimento, realizando esse apoio emocional", explicou Elizabete.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo